Temos de falar das camisolas do Sporting

Mais um ano, mais um lançamento de novas camisolas do Sporting, que vão vender como pãezinhos quentes, independentemente dos gostos. Este ano, devido à gala ter sido marcada para a véspera do aniversário, podem-se aproveitar os equipamentos logo no dia 1 de Julho: mais um dia para vender camisolas, e logo no dia de aniversário do Clube, com muita gente à volta do estádio em actividades e muito dinheiro a ser gasto na Loja Verde (que ainda é no Multidesportivo – mas devemos ter a nova Loja do pavilhão pronta até ao início da nova época). Deste ponto de vista, a mudança da data da apresentação dos equipamentos até acaba por ser uma boa ideia.

Vamos despachar o “chato” primeiro: A Stromp é a mesma pelo 3º ano consecutivo (ou pelo 2º, se quiserem contar a de 2016-17 como sendo diferente da de 2015-16 só porque tem botões em vez de molas e, nas costas, a coroa do emblema em vez do nome do Clube) e a listada é… listada. Muda o desenho da gola. Os bonecos da Macron (com novo logótipo) são pretos. Volta o leão dourado (o melhor pormenor das camisolas 2014-15) nas costas, que são verdes. (Não, não apoio costas listadas. Há problemas de legibilidade.) A Macron ainda não arranjou forma de centrar o logótipo deles na lista, algo que pode perturbar obsessivo-compulsivos. (Chateia-me, mas não me faz ficar a coçar até ficar em sangue.) E, como na época passada, há versão para mulher (mais cintada, gola mais larga). Os equipamentos de GR são diferentes, mas não têm nenhum elemento visual particularmente assinalável. Se quiserem personalizar, o tipo de letra dos números mantém-se o mesmo. (E isso é uma coisa boa.)

Depois, temos aquela camisola alternativa. Lê o resto do post clicando aqui.